sábado, fevereiro 07, 2009

o restaurante não será mais o mesmo.

De vez em quando, poesia faz bem. Brincar de combinar e arrematar palavras olhando para sua capacidade de expressão sem se esquecer do seu som, para no fim descobrir que se não rimar, também mal não faz…
Sentir-se inspirado, é sublime. Querer dizer algo, que está na ponta da língua, que está debaixo dos olhos, que está em cima do pensamento, que vem de não sei onde, mas surge como um …
Já quase surgia um poema. Mas faltou-me uma palavra.
Quando isso acontece, o incomodo aparece. Aquele desconcerto que faz-nos sentir desequilibrados a procura incansável da palavra certa que consiga expressar exactamente aquele quase pensamento.
Hoje, li uma crônica.
Entrar num restaurante não será mais o mesmo. Começar a imaginar a dança das cadeiras, do quem senta onde… e o porquê, um divertimento extra.

Sim tudo isso era apenas vontade de escrever…
Já está.