sexta-feira, junho 09, 2006

pensando em desabafar...
se não entenderes.. ok, joguei praqui os pensamentos soltos... desabafei!
Obrigado por me emprestares o ouvido... melhor olhos!



Morder o isco

Quando nos chegam, discretos…
Sorrateiros…
Armadilha pronta, mas não á vista
Que apela para nosso ego,
Para nosso senso de justiça,
Fazendo-nos parecer implicados em alguma qualquer situação…
As acusações…
Sob alegação, de que: “não esperava isto de um líder como tu…” - apelo ao nosso status, pois afinal, um líder como tu… significa que te tenho em alta conta… um pedestal pra subirmos…, que ao mesmo tempo nos derruba…
Ahhhhhh as expectativas… que temos e que queremos corresponder… (tem muito que se lhe diga!)
Ou “não estavas lá quando precisei de ti…” - apelo ao que consideramos ser nossa tarefa básica: ser responsável… cuidar de quem precisa… e pouco importa se naquele mesmo dia atendeste 4 ou 5 pessoas que precisavam de ti, tanto quanto o nosso indivíduo X
Mas no meio daquilo tudo…
Afinal,
Somos responsáveis pelo que mesmo?
Apanhei-te…
Já te estavas a envolver…
Mordeste o isco…
Sentiste-te injustiçado,
Implicado… disseram veladamente que não foste responsável…
Já te sentes no meio do turbilhão…
Como se afinal tivesses mesmo falhado,
Na tua premissa, de seres comprometido…
De seres responsável…
Até cantaste “… responsável é você pelo que cativou…”(que por um acaso, até lembrei disto esta tarde…)
E te sentiste sentado ao lado da raposa… olhando para o céu!

NÃO… vou cantar outra musiquinha…
“A mim não me apanhas tu…”

Não é fácil, perceber…
É muito mais fácil sermos arrastados para um turbilhão de insatisfações… e subjectividades, com alguém que quer atirar as culpas para outro que não ele mesmo, e trabalhou arduamente engendrando, e juntando todas as pecinhas possíveis para um enredo excelente… afinal, TU és o culpado… e eu a vítima… que ainda faço pose a dizer-te que te amo e que te perdoo.

O pior, é que mesmo sendo capaz de fazer o diagnóstico…
Aqui ainda estou eu, a digerir e a pensar…
Afinal, do que sou eu mesmo responsável?

4 conversando:

samuelm disse...

gostaria de estar ai ao teu lado para te dar um abraco apertado no meio do turbilhao... e um sopro no coracao, soprei! Amo-te, porque es simplesmente humana, embora em potencia sejas sobrenatural, mas isso já e outra historia! Insatisfeitos sazonais, sempre os teremos connosco... Os mesmos que ajudamos a levantar muitas vezes. Corajem! Es luz para mim.

Vivendo a Vida! disse...

Fla...
Entregue nas mãos de Deus. Não é fácil esse sentimento de injustiça que as vezes sentimos... Mas Deus tudo vê... Eis que estou convosco...(não foi isso que o pr Sam disse ontem?)
Muitos e apertados abraços...
Amo-te!

Anónimo disse...

Posso não perceber o que vai na tua alma, até posso não saber o que te dizer, mas posso dar-te o meu tempo e os meus ouvidos para te ouvir em silêncio!
VF

Entre-aspas disse...

Será possível amar, sem ser alguma vez magoado. Será possível entregarmo-nos aos outros (o nosso tempo, a nossa energia, a nossa disponibilidade...) sem alguma vez não termos o respectivo retorno e recompensa do próprio.
Apenas, Um é verdadeiramente galardoador de quem o busca e serve.